A internet trouxe à tona uma nova forma de fazer publicidade. Graças a ela, o marketing direto, aquele em que você fala diretamente com o seu público-alvo, se tornou algo muito mais fácil para as empresas.

Com este novo marketing, também surgiram novos conceitos e ferramentas. A fidelização, o engajamento, o marketing de conteúdo e o e-mail marketing são termos mais falados – e importantes – do que nunca. Assim como eles, o marketing de permissão também é tendência em um mundo mais digitalizado. Você sabe o que significa este conceito relativamente novo?

Marketing de permissão: o que é e quais são os benefícios

Ninguém gosta de ser interrompido, não é mesmo? Nem quando está explanando uma ideia, nem quando está assistindo o seu programa de televisão favorito. Por isso mesmo, os anúncios veiculados em programas de tv e de rádio não são tão eficientes quanto certas publicidades feitas na internet. O que acontece é que o meio digital possibilita que as pessoas escolham quando e o que querem receber de propaganda. É esta a ideia por trás do marketing de permissão.

Este foi um termo cunhado por Seth Godin, autor do livro Marketing de permissão. Para ele, a propaganda sem interrupção tem potencial para trazer resultados muito melhores para a empresa.

Mas será que o consumidor vai mesmo se voluntariar para receber propagandas? Se as empresas souberem utilizar estratégias como a troca de benefícios e ferramentas como o e-mail marketing, a resposta é sim!

Vamos citar o exemplo de uma imobiliária. Se um cliente visita o seu site, é muito provável que ele tenha interesse em comprar ou alugar um imóvel, certo? Então, são grandes as chances de que ele cadastre o seu e-mail para receber informações sobre novas casas e apartamentos na região do seu interesse e informações relacionadas a promoções. Quando ele faz este cadastro ele está dando permissão para que a empresa envie mensagens e propagandas para o seu e-mail.

A partir disso a ideia é abandonar as listas que geram spam e focar em conteúdo voltado para as pessoas que, de fato, querem receber publicidade da marca. Tudo bem que a lista de e-mail seja menor, uma vez que ela é toda composta por uma audiência interessada.

Como fazer marketing de permissão na sua empresa

Falamos em troca de benefícios, certo? Mas como isso funciona? A proposta é oferecer algo ao consumidor para que ele aceite receber publicidade da sua empresa. Você pode fazer isso por meio do marketing de conteúdo. Uma empresa do ramo fitness, por exemplo, pode criar conteúdos relacionados à saúde. O cliente cadastra o e-mail e recebe e-books do seu interesse.

Também podem ser criados jogos com prêmios interessantes para o seu público-alvo. Você fideliza e atrai o consumidor com uma só ação de marketing. Entre uma das regras do jogo, solicite o cadastro do consumidor no site da empresa. Uma marca de cerveja, por exemplo, pode oferecer como prêmio kits de cervejas especiais. Assim, a empresa garante que os jogadores têm interesse no seu produto.

Para que o marketing de permissão seja eficiente é importante garantir duas coisas: que o consumidor saiba que está cadastrando o e-mail para receber mensagens promocionais e que o conteúdo enviado pela empresa seja relevante para o seu público – assim, você mantém o interesse da audiência.

O que você acha do marketing de permissão? Já utiliza este conceito na sua empresa? Deixe a sua opinião nos comentários. 

Gostou deste artigo? Compartilhe!

 

 

Fatos para tweetar:

  • (Tweet) “Não encontre clientes para seus produtos. Encontre produtos para seus clientes.” – Seth Godin
  • (Tweet) Propaganda sem interrupção tem potencial para trazer resultados muito melhores para a empresa.

Compartilhe!

Facebook 0
LinkedIn 0
Twitter

Cadastre-se na nossa newsletter:

Após longo período dedicado a propaganda, planejamento e branding como criativo ou como profissional de marketing, criei a DuoHub, uma empresa que acredita que gerar novas conexões é gerar valor para as marcas e conversões através do Inbound Marketing.