Você tem uma lista enorme de emails, nunca segmentou ou ao menos nutriu, mas ainda assim acha que ter milhares de leads pode ser ótimo para sua estratégia digital? Isso é uma cilada! Muitos desses leads podem não existir mais ou mesmo ter se tornado um spam trap.

As baixas taxas de entrega são um dos desafios mais críticos que os profissionais de e-mail marketing enfrentam e embora muitos fatores afetem a sua capacidade de entrega, as spam traps, armadilhas de spam em português, são uma das maiores e mais incompreendidas de todas.

Continua comigo nesse artigo que vou te mostrar um caso real de spam trap e as orientações para resolver este problema.

O que é um Spam Trap?

Spam Traps é uma ferramenta usada por provedores de e-mails – como Gmail, Hotmail, Yahoo!, etc. – para encontrar spammers.

Se você for capturado em uma spam trap executando um envio para uma dessas contas, sua taxa de entrega será afetada imediatamente, já que os provedores de e-mail entendem que suas mensagens não foram autorizadas ou mesmo indevidas – em outras palavras, spam.

“Um em cada cinco e-mails que você envia pode não chegar à caixa de entrada do seu lead.” – Deliverability Benchmark Report 2015.

Existem 2 tipos de spam traps:

Spam Trap Puro: Essa é uma jogada de mestre! Imagine comigo, você criou um email em algum provedor, como Gmail e não divulgou para ninguém. Misteriosamente você recebe promoções e anúncios de empresas que nunca ouviu falar! Estes são os famosos Spammers, pois de alguma forma coletaram o seu endereço de email, claro que de forma incorreta, sem seguir as boas práticas de envio de e-mail marketing. Se você faz essa prática e for pego neste tipo de Spam Trap o seu endereço de IP e domínio serão comprometidos imediatamente.

Spam Trap Reciclado: Este tipo de spam trap diz respeito a alguma conta de e-mail que já existiu no passado, mas foram classificados como não existentes, pelos próprios provedores de emails. Após um determinado tempo sem usar, a conta passa a ser uma spam trap.

Por que você deve se preocupar com o Spam Trap?

É capaz que você esteja enviando e-mails diretamente para as armadilhas de spam e nem sequer sabe disso. E se isso estiver acontecendo isso prova que você usou práticas não recomendadas para coletar endereços de e-mail ou pelo menos, você não fez um bom trabalho para manter sua lista limpa.

Para te ajudar, separei aqui algumas formas para manter uma base de e-mails limpa, com boas práticas e assim evitar as spam traps, veja a lista completa.

#1. Não compre listas de e-mails

As listas compradas têm uma taxa maior de spam trap. Além disso, o envio de e-mails para pessoas que não receberam o consentimento expresso para receber seus comunicados, aumenta as chances de queixa, levando à degradação da reputação e à diminuição das métricas, abertura e cliques.

Sugestão de leitura: Promoção de leads qualificados: A maior furada do mercado

#2. Implemente o opt-in de confirmação para novos assinantes

Também conhecido como opt-in duplo, ou dupla confirmação, este método solicita ao novo lead que confirme que seu endereço está correto, clicando em uma confirmação enviada no e-mail inicial. Essa ação de clique ajuda a garantir que o endereço de e-mail seja válido, ativo e que o seu lead deseja realmente receber seu e-mail.

#3. Rejeite os endereços de e-mail com erros durante a inscrição

Durante a submissão do endereço, por vezes, os leads erram na hora de digitar ou não desejam divulgar seu endereço de e-mail real. Esses endereços de e-mail, mal informados, não devem estar na lista de disparo de suas campanhas, pois levam a uma probabilidade bem maior de cair em armadilhas de spam. O opt-in de confirmação é uma excelente forma de evitar endereços de e-mail incorretos ou inválidos, pois esses endereços ruins nunca serão capazes de confirmar e serem adicionados à lista de leads.

#4. Envie uma nutrição de boas vindas

Enviar uma mensagem de boas-vindas, ou confirmação, o mais rápido possível após a assinatura inicial, beneficiam tanto o remetente quanto o lead. Como remetente, se acontece a validação o e-mail é verdadeiro e como destinatário, o e-mail de boas vindas reitera os benefícios da assinatura e define as expectativas para os principais tópicos para o lead.

Neste link você pode comprovar a eficiência do envio de boas vindas. Esta ação foi feita com a Lamas Brew Shop, cliente DuoHub.

Passei para você a definição de spam trap e as 4 principais formas de evitar as spam traps, assim você  evita de cair nessa cilada e ainda pratica com perfeição a nutrição de leads e deixa sua base feliz e bem informada. Agora, e quando acontece o caso de ser pego?

Eu conto em detalhes aqui abaixo, como resolvi um caso real de spam trap.

Um caso real de spam trap

Converso com muitas empresas e em uma delas me deparei com uma que tinha uma base enorme de leads, nem sempre conquistados através de autorização, ou seja, compra de emails e eventos. Algo em torno de 15 mil leads e todos as campanhas de e-mail eram feitas para toda a base.

E uma análise inicial, vi que muitos destes leads, não existiam mais, estavam errados ou bounces. Além disso, o e-mail marketing foi construído sem seguir algumas boas práticas, como desenvolver apenas em uma imagem.

Ao detectar estes pontos, o primeiro passo foi fazer uma análise de entrega com a ferramenta Mail Tester. Nessa análise, eu descobri que o e-mail tinha muitos problemas e estava em uma black list.

Na imagem abaixo é apresentado a análise de entrega, com o ranqueamento de qualidade do remetente.

O Mail Tester é gratuito. Você mesmo pode analisar suas campanhas e identificar onde melhorar. 😉

Qual foi a orientação neste caso

Interromper as campanhas para leads que não estavam engajados

Orientei a criar uma segmentação dos leads, com uma regra para selecionar apenas os leads engajados, apenas os que abriam os e-mails.

Higienização na base

A outra orientação era filtra TODOS os e-mails que estavam com 2 meses a mais sem engajamento, bounce e inválidos e preenchidos incorretamente. Os sem engajamento foram “arquivados” para uma futura campanha de reengajamento e o restante excluídos da base.

Existem várias ferramentas nacionais que você pode usar para higienizar a sua base. Cito algumas:

  1. Base limpa
  2. E-mail validation
  3. Checador
  4. Mailfinder
  5. RD Station (neste caso, a plataforma conta com o Behavior Score, que faz a separação automática dos leads engajados, indeterminados, desengajados e inválidos.)

Siga as boas práticas de e-mail marketing

Para as organizações anti-spam e os provedores de e-mail, as más práticas de disparo de e-mail fazem com que você perca credibilidade e pareça um spammer, o que pode ter um grande impacto na reputação do remetente que você faz os disparos das campanhas. Por isso vale a pena dar uma checada nas boas práticas de envio definidas pelo CAPEM.

Dessa forma, os remetentes são marcados com uma má reputação e os e-mails disparados por eles não são entregues nas caixas de entrada dos leads.

Siga as boas práticas de e-mail marketing que compartilhei aqui. Em pouco tempo você perceberá o quanto sua taxa de abertura de e-mail aumentará e ficará tranquilo sabendo que não está infringindo nenhuma regra.

Você já sabe que não praticamos spam. Então aproveite e assine minha newsletter para receber primeiro os conteúdos da DuoHub.

Crédito de imagem: Freepik

Compartilhe!

Facebook 0
LinkedIn 0
Twitter

Cadastre-se na nossa newsletter:

Após longo período dedicado a propaganda, planejamento e branding como criativo ou como profissional de marketing, criei a DuoHub, uma empresa que acredita que gerar novas conexões é gerar valor para as marcas e conversões através do Inbound Marketing.